CULINARIA JAMAICA3A história da Jamaica pode ser contada pela sua culinária. Assim como no Brasil, a Jamaica recebeu muitos africanos, uma realidade mais evidente que a brasileira, onde 53% da população é autodeclarada negra. Na Jamaica a população negra chega a 90%. Os africanos trouxeram consigo elementos de sua cultura como a religião, palavras do seu vocabulário, além de ingredientes e receitas.

Assim como o acarajé na Bahia, o jerk é um símbolo da Jamaica. É uma forma de cozimento da carne de porco derivada do processo de conservação utilizado pelos nativos e escravos fugidos que habitaram a ilha antigamente e atualmente se estendeu a outros tipos de carne.

O processo envolve temperos típicos da ilha, especialmente a pimenta, onde a carne é assada num buraco na terra e defumada para manter o sabor original. Digamos que seria com a carne de sol brasileira: preservada de forma criativa quando não haviam refrigeradores.

O jerk é tão popular por lá que ganhou até festival em sua homenagem: o Portland Jerk Festival, em Boston Bay, nordeste da Jamaica.  O festival acontece anualmente e além de oferecer uma rica variedade de jerks (frango, porco, carne bovina, lagosta, caranguejo e até tofu) acontecem shows e apresentações musicais.

CULINARIA JAMAICA Outro prato comum na culinária jamaicana é o arroz cozido com feijão ou ervilhas, a base de leite de coco. Este e outros pratos são o resultado da fusão de várias etnias e culturas em um mesmo espaço, como a inglesa e a espanhola que estiveram tão presentes no processo de colonização do país.

A culinária jamaicana é quase uma irmã da brasileira, sendo outros alimentos bastante comuns na ilha uma grande diversidade de frutas, a mandioca e os peixes, assim como entre os indígenas brasileiros.

As praias de beleza estonteante serão apenas um detalhe com toda essa comida. Corra pra lá!

Dicas de hospedagem:  Knutsford Court Hotel,Courtleigh Hotel and Suites e The Jamaica Pegasus.